xícara - cup - taza - Кубак - vaso - coppa - kopp - الكأس - tasse - beker - fincan - גלעזל - κύπελλο - pehar kupillinen - cawan - kop - koppie - kikombe - chávena



quarta-feira, 2 de julho de 2014

Julho de 2014

Pensaram que eu havia esquecido?  Não, só não tive tempo ontem, por isso estou postando hoje o calendário do mês de Julho.

Crônicas Gris

Título: Crônicas Gris
Autora: Ana Paula Amaral
Editora: Livronovo
Lançamento: 2013

Este livro versa sobre encontrar beleza para além dos padrões estabelecidos. Seja no cabelo feminino, ou na ausência dele nas cores que conferem personalidade aos fios. Nas mãos senis, manchadas de viver, nas mãos que mergulhadas em água banham o filho. Encontrar beleza nas pessoas anônimas que edificam os caminhos por onde passamos ou na maternidade gerada no ventre ou a maternidade que faz crescer o coração. Em crônicas leves, divertidas, ora que emocionam, o cotidiano vai se descortinando com toda a sua força e beleza (Sinopse encontrada no site da Livraria da Travessa).

Só para aguçar a curiosidade de muitos, transcrevo aqui um pequeno e delicioso trecho de uma das crônicas:
"Pego no armário da cozinha a xícara emborcada sobre o pires... Dispenso o pires e acomodo a xícara ao lado do computador. Vou falar com meus amigos das redes sociais, bebericando meu café... Mais de trezentos amigos é o que aparece marcado ali na tela... Tantos amigos e uma só xícara de café... Tantos compartilhamentos, mas nunca várias xícaras emborcadas, esperando o som do riso real, o brilho verdadeiro dos olhos, sejam eles tristes ou alegres."

Almada Negreiros (2)

 
Este quadro, datado de 1925, é intitulado: Auto-retrato num grupo. É um trabalho do pintor português José Sobral de Almada Negreiros (1893-1970). Ele era um artista multidisciplinar: pintor, escritor, poeta, ensaísta, dramaturgo e romancista ligado ao grupo modernista português. Já postei aqui outro quadro dele, em 10-11-2011, em que retratou Fernando Pessoa.

Xícara Isabelina alemã

 
Xícara alemã de café "isabelina". Porcelana branca, pintada em tom  perolado, com relevos em verde claro e laranja bem claro. Asa tripla e frisos em dourado. É bem antiga e mostra a passagem do tempo no desbotado.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Pires e asa bem diferentes

Vejam que bela capa da Revista Espresso. Não é uma edição recente, tem o nº 27 e é de março de 2010. Mas eu tenho uma razão para fazer isto. Tenho uma xícara bem parecida com esta da capa. A diferença está na posição da xícara no pires. Não consegui descobrir a marca da xícara da capa,
 
Vejam a capa e a minha xícara. A xícara é alemã, da marca Heinrich Villeroy & Bosch, foi presente de minha amiga Naomi Senn em 1997.

Xícara chinesa


Trio (xícara, pires e pratinho de bolo) para chá vindo da China. Porcelana branca decorada com cercaduras douradas e a palavra Mãe inserida na xícara. Rosas vermelhas, barras douradas e vermelhas. Ganhei este lindo trio no "dia das Mães", presente das minhas gatinhas Lígia e Mariana. 

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Déjeneur du matin

Il a mis le café
Dans la tasse
Il a mis le lait
Dans la tasse de café
Il a mis le sucre
Dans le café au lait
Avec le petit cuiller
Il a tourné
Il a bu le café au lait
Et il a resposé la tasse
Sans me parler
Il a alumé
Une cigarrette
Il a fait des ronds
Avec la fumée
Il a mis des cendres
Dans le cendrier
Sans me parler
Sans me regarder
Il s'est levé
Il a mis
Son chapeau sur la tête
Il a mis
Son manteau de pluie
Parce qu'il pleuvait
Il est parti
Sous la pluie
Sans une parole
Sans me regarder
E moi j'ai pris
Ma tête dans ma main
E j'ai pleuré
.
 
Jacques Prévert (1900-1977)
CAFÉ DA MANHÃ
Pôs café
na xícara
Pôs leite
na xícara com café
Pôs açúcar
no café com leite
Com a colherzinha
mexeu
Bebeu o café com leite
E pôs a xícara no pires
Sem me falar
acendeu
um cigarro
Fez círculos
com a fumaça
Pôs as cinzas
no cinzeiro
Sem me falar
Sem me olhar
Levantou-se
Pôs
o chapéu na cabeça
Vestiu
a capa de chuva
porque chovia
E saiu
debaixo de chuva
Sem uma palavra
Sem me olhar
Quanto a mim pus
a cabeça entre as mãos
E chorei.
Tradução: Silviano SantiagoLivro: Poemas (Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1985 

Xícara chinesa


Elegante xícara de chá sem marca. Porcelana branca. Estreitas faixas verdes com flores em tom creme, frisos dourados no pires e xícara. Toda a volta do pires e da xícara é circundada por larga faixa creme com flores coloridas, folhas e grama verde, borboletas.